terça-feira, maio 12, 2009

Marcha Improvável

Mais um snapshot estranho de um país surrealista (que mostra mais uma vez que quem diz que entende Israel ou é um mentiroso compulsivo ou tem algum tipo de alucinação muito grave). Vindo de Bnei Barak (gueto ultra-ortodoxo) e caminhando pelas calçadas de Ramat Gan (cidade quase normal) uma turba de umas muitas dezenas de crianças acompanhadas por outras poucas dezenas de adultos cantavam, gritavam, carregavam cartazes e panfletos.

Não faltam manifestações públicas em Israel, mas essa me chamou a atenção. Todos usavam um chapeuzinho de papel à lá Verguenza Alheia e vestiam um colete feito de saco de lixo com uns dizeres (não menos Verguenza Alheia), além das roupas ortodoxas típicas.

"Mas são contra ou a favor exatamente de que?" eu perguntava a mim mesmo, em voz alta, em português, no caixa do supermercado. Nos cartazes, a foto do Rav de Lubavitch os dizeres "viva o Messias!"

Uma senhora, que na verdade nem era assim tão senhora (não devia ter mais de 30, mas assim me parecem quando andam de roupas e saia larguíssimas, lenço na cabeça e absolutamente nada combinando com coisa nenhuma), segurava um megafone e gritava, acompanhada pelas crianças:

- Estamos em guerra!
A petizada repetia.
- Contra que estamos em guerra?
E a petizada repetia a pergunta - tudo no ritmo acelerado da marcha improvável.
- Contra as coisas más!

E assim iam, sem especificar o que eles consideravam ser uma coisa má. Aí entendi os dizeres nas "camisetas" feitas de sacos de lixo, dizendo que quanto menos coisas más houverem no mundo, mais cedo virá o Messias - novamente sem explicar o que seriam as coisas más, e o que significa "vinda do Messias", enquanto seguravam fotos do tal Rav de Lubavitch, já falecido, que eles consideram ter sido ele mesmo o Messias (segundo estava escrito sob a foto).

E algo me diz que uma pessoa como eu que faz questionamentos deste tipo seria considerado uma coisa má. Motivo pelo qual não fiquei para entender o que diabos eles pretendiam fazer com as coisas más, juntei minhas compras e fui pra casa.

Um comentário:

ana maria disse...

Que coisas más seriam essas mesmo, heim? Vai ver que, entre elas, estão coisas que a gente considera ótimas...
Sinceramente, não sei se esse pessoal ultra-ultra é ingênuo, doido ou as duas coisas...